Começou a funcionar recentemente numa rua estreita do bairro Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, a clínica Gravital, especializada em tratamentos à base de Cannabis sativa. A inauguração do espaço deverá acontecer em janeiro de 2020.

A equipe médica é formada pelo psiquiatra Dr. Pietro Vanni, diretor técnico, e a endocrinologista Dra. Thais Perlingeiro. A empresa foi fundada economista Joaquim Castro. Ele conta que desde 2017 gerencia um pequeno fundo de investimentos em Cannabis nos EUA, o Blue Dream Capital Partners, mas queria trabalhar com a planta no nosso país.

“Procurei uma forma de vir para o Brasil de forma legal e simples, que não necessitasse grande capital. Vi algumas clínicas no Canadá e me espelhei naquele modelo de empresas. Então eu vou trabalhar com marcas que já estão vendendo no Brasil”, explicou Castro ao portal Sechat.

No entanto, o empresário garante que é o médico quem tem a palavra final quanto a receita dos produtos. Segundo Castro, a clínica buscará ser um espaço para atender pacientes de todas as patologias tratáveis com canabinoides, de Alzheimer a dor crônica:

“A Gravital tem o objetivo de transformar nossos médicos em ‘canabinólogos’, um termo que ainda nem existe no Brasil. Então vale para toda especialidade que tenha um receptor canabinoide envolvido, na evidência empírica, já que as evidências científicas estão sendo construídas”.

“Gravital vem de equilíbrio gravitacional, já que a Cannabis traz homeostase, que é o equilíbrio do corpo”, explica o empresário sobre a origem do nome do empreendimento.

A ideia é além de tratar os pacientes, fazer as pesquisas clínicas necessárias no Brasil.

Joaquim Castro também salienta que os profissionais de saúde da clínica são credenciados pela Green Flower, uma plataforma de educação médica para Cannabis, com cursos online voltados a médicos e advogados, mas também sobre cultivo e para quem trabalha em outros setores produtivos ligados à planta.

A arte nas paredes da clínica é assinada pelo artista Zanon, que é ativista da maconha e tem no seu estilo a planta como uma marca registrada: “espero que a arte, além da parte didática exigida em briefing, traga sorte a todos que por lá derem expediente”.